Follow:
    Dicas de Moda

    Como reinventar a camisa branca com 5 looks

    Essencial no guarda-roupas de toda mulher, a camisa branca deixou de ser uma peça formal e séria para ser totalmente reinventada. Sobreposições, desconstruções e combinações antes consideradas atípicas hoje fazem a cabeça das fashionistas e deixam a camisa mais cool do que nunca. Por ser uma peça clássica e versátil, a combinação e criação de produções é muito fácil, e as opções são infinitas. Separei cinco looks que são a prova de que a camisa pode ser usada de jeitos que você nem imagina. Confira!

    Sobreposições

    Como reinventar a camisa branca com 5 looks

    Com o inverno chegando, as sobreposições ganham destaque. E não é para menos, já que quando falamos em sobreposição, falamos da mistura de inúmeras peças para a criação de um look muito atual e moderno de inverno. Que tal combinar a camisa branca clássica com um suéter quentinho para enfrentar o inverno aquecida e estilosa? Para as mais fashionistas, a camisa por baixo de um vestido é uma opção incrível que vai deixar o look à la Street Style! Eu mesma já me rendi a sobreposição neste look aqui.

    Shirt Dress

    Como reinventar a camisa branca com 5 looks

    Se você tem no seu closet uma camisa compridinha, que tal transformá-la em um vestido soltinho e confortável? O Chemise, vestido que lembra uma camisa, é uma das peças hit do momento e pode ser combinada com a bota Chelsea, ankle boot, slipper, mule… o leque de opções é imenso. A criatividade depende de você! A camisa usada como vestido vai deixar seu look muito estiloso.

    Camisa desconstruída

    Como reinventar a camisa branca com 5 looks
    Algo antes considerado muito diferente e usado só pelas mais ousadas, esse truque de styling entrou com tudo na lista de tendências da estação. A camisa desconstruída, com recortes, nós e formatos pouco comuns fizeram a cabeça das fashionistas e podem ajudar na produção de um look supermoderno e descontraído, tirando um pouco a seriedade que a camisa branca.

    Lingerie à mostra

    Como
    Antes sempre escondida por baixo das roupas, hoje a lingerie à mostra é um superhit e faz uma dupla perfeita com a camisa social. Ideal para um momento mais casual, a lingerie é vista muitas vezes como a peça-chave de vários looks. Que tal abrir um ou dois botões da sua camisa e deixar à mostra a lingerie de tiras e renda super delicada? A dica é: não tenha medo de ousar!

    Acessórios e mais acessórios

    Como reinventar a camisa branca com 5 looks
    Clássico é clássico, não importa o quanto as tendências mudem. Prefere a camisa branca básica? Que tal combiná-la com um jeans cropped ou destroyed e finalizar com algum acessório statement? Lenços no pescoço estão em alta e podem dar aquele toque fashionista ao look em um piscar de olhos. Ah, e um tênis branco combina muito bem com a camisa também. Básica, porém estilosa!

    Gostou do post? Então deixa seu comentário.

    Assine nossa Newsletter

    Receber as novidades e dicas de moda, tendências e criações de looks no seu email. Não fique de fora!

    Veja também:

    Novidades de Moda

    Wearable: moda que mistura design e tecnologia

    A tecnologia unida a moda tem indicado para onde o  mercado dos wearables deve seguir. Atualmente quem mais se beneficia nessa história é a indústria das roupas esportivas, com cada vez mais recursos que ajudam a realizar atividades físicas de maneira mais correta, analisando seus dados (batimentos cardíacos, respiração, contagem de passos, etc), fazendo com que sejam respeitados os limites fisiológicos e também colaborando com o progresso diário dos exercícios físicos.

    Mas, o comércio global de wearables  está em expansão e cresceu 17.9% no primeiro trimestre deste ano (o que equivale à venda de 24.7 milhões de dispositivos), frente ao mesmo período do ano passado. Marcas como Xiaomi, Apple, Fitbit, Sansung e outras apresentam e lideram as inovações fitness e está faturando milhões de dólares com essa tendência.

    Uma pesquisa de 2015 da IDC aponta ainda que em 2019, deve haver disponíveis no mercado global dos wearables – entre roupas, relógios e óculos inteligentes – cerca de 126 milhões de dispositivos.

    Existem muitos projetos incríveis de wearables que não foram comercializados, especificamente roupas tecnológicas que não estão ligadas ao mercado esportivo. Os motivos são diversos. Alguns designers simplesmente querem concretizar um projeto que envolveu anos de estudos, dando passos importantes nas descobertas tecnológicas aliadas a roupas ou criando peças autorais de grande valor artístico. E em muitos casos, esbarram na falta de investimento, o que impossibilita sua comercialização.

    Alguns produtos com as mais variadas tecnologias vestíveis  já estão no mercado, à venda ou sob encomenda.

    A Rochambeau, marca de Nova York, é a primeira parceira de moda da Evrythng, empresa especializada em projetos de tecnologia. Juntos, eles produziram a jaqueta inteligente BrightBmr. Na etiqueta da peça, que fica escondida na manga, há um chip e um QR Code, ambos se conectam ao celular e armazenam informações pessoais do usuário. Além disso, o chip pode realizar pagamentos e o QR code se transforma em ingresso de shows e eventos. A peça ainda vem com um plus: através da parceria da Evrytng com outras empresas, a jaqueta dá acesso a serviços exclusivos em Nova York, como entrar em um club sem aguardar na fila ou sentar na melhor mesa de um restaurante. A BrightBmr está disponível sob encomenda por US$ 630 no e-commerce da marca.

    A Snap Inc., empresa detentora do Snapchat, produziu os óculos de sol Spectacles, que vêm com uma câmera integrada para gravar snaps e enviá-los diretamente à rede social, via bluetooth ou Wi-Fi. Basta apertar o botão e as luzes em volta da lente quando acesas informam que a gravação de até 30 segundos está sendo feita. A bateria pode durar até um dia inteiro com uma única carga. Disponíveis em três cores (azul, preto e vermelho), os Spectacles custam US$ 130 e, por enquanto, está disponível apenas nos EUA e na Europa. À parte, é possível comprar por US$ 50 uma caixinha de proteção que também o recarrega.

    A Shiftwear produz esse tênis com o e-paper, uma espécie de tela ultrafina que possibilita transmitir imagens estáticas ou em movimento à sua escolha via bluetooth através do app. O solado é feito com uma fibra sintética super-resistente que amortece impactos e ajuda a proteger a tela, que resiste à água (cinco metros de profundidade) e possui luminosidade para ambientes escuros. O tênis, que pode ser lavado na máquina, possui o sistema walk and charge: a cada passo, a bateria se auto recarrega (ela funciona até 30 dias sem recarga). Em diversos modelos, custa US$ 500, com a opção de customizá-lo por US$ 100 a mais, e está disponível no e-commerce da Shiftwear, que entrega no Brasil. Vale assistir ao video aqui para ver a quantidade de imagens e possibilidades que cabem em um par de tênis.

    O Project Jacquard é o projeto de wearables do Google, que visa inserir tecnologia em tecidos. A primeira empresa parceira foi a Levi’s, com quem desenvolveu a Commuter Trucker Jacket. A jaqueta inteligente foi feita especialmente para ciclistas: permite receber direções do Waze, ouvir e mudar de música em apps como o Spotify e também responder chamadas enquanto pedala.

    O tecido do jeans é fabricado com uma fibra condutora. Próximo à manga da jaqueta, um pedaço do tecido funciona como touchpad, uma tela sensível ao toque que fica conectado à tag Jacquard, um componente flexível de plástico que se conecta na jaqueta via USB (como se fosse um pendrive) para que seja possível removê-lo durante a lavagem. A tag possui uma bateria que pode durar até dois dias, uma antena bluetooth pareada com o aplicativo, além do LED que informa se o pareamento foi bem sucedido e alerta as notificações. A Commuter Trucker Jacket deve chegar ao mercado no final deste ano por US$ 350.

    Gostou do post? Então deixa seu comentário.

    Assine nossa Newsletter

    Receber as novidades e dicas de moda, tendências e criações de looks no seu email. Não fique de fora!

    Veja também:

    Novidades de Moda

    AHLMA – marca carioca com consumo consciente

    Com as mudanças no comportamento do consumidor de moda, surgem novas propostas e processos para se fazer e consumir moda. A marca carioca AHLMA nasce sob o guarda-chuva do Grupo Reserva como uma plataforma colaborativa e sustentável, abrindo caminho para uma chamada “nova era da moda”.

    Consumo consciente

    A gente quer gerar o menor impacto negativo para o meio ambiente na produção dos nossos produtos e o maior impacto positivo para as pessoas, trabalhando através de uma rede de co-criação”. Explica André Carvalhal, co-diretor criativo da marca e quem encabeça também a Malha, plataforma de criação e produção de moda com sede no Rio de Janeiro.

    No e-commerce e loja física estão disponíveis roupas casuais com pegada street feitas a partir de materiais descartados buscam refletir “mais essência do que tendência” – uma filosofia que estende-se a toda linguagem da AHLMA, inclusive ao primeiro lookbook da marca em que os modelos não vestem uma peça de roupa sequer e, sim, o que seria a matéria-prima delas.

    Um projeto ambicioso e otimista, porém, uma marca em construção, navegando por novos caminhos com as melhores intenções e a abertura para se transformar ao longo do percurso.

    André Carvalho foi entrevistado pela equipe FFW e compartilhou sobre o propósito da marca, os preços e o poder da criação colaborativa como chave para o progresso. Clique aqui para ler a entrevista na íntegra.

    AHLMA - marca carioca com consumo consciente AHLMA - marca carioca com consumo consciente

    Gostou do post? Então deixa seu comentário.

    Assine nossa Newsletter

    Receber as novidades e dicas de moda, tendências e criações de looks no seu email. Não fique de fora!

    Veja também:

    Novidades de Moda

    8 maneiras de como a tecnologia está revolucionando a moda e salvando o planeta

    Não muito tempo atrás, a fashionista russa, fundadora e proprietária do website Buro247, Miroslava Duma estava encantada com a indústria da moda e vivia num mundo encantado sendo paparicada pelas grifes e ganhando assento cativo na primeira fila dos desfiles mais disputados. Até que ela começou a aprender sobre os danos que a moda está causando ao planeta. Miroslava percebeu que por trás de todo aquele glamour reluzente, a história real era bem feia. Continue reading

    Veja também:

    Novidades de Moda

    Estampas anti-depressivas

    George Stylios, professor e pesquisador da Universidade Heriot-Watt, no Reino Unido, juntamente com a estudante Meixuan Chen, realizou um estudo das reações emocionais dos participantes ao visualizar padrões de estampas. A pesquisa busca determinar se  as estampas influenciam na disposição ou humor de cada pessoa.

    Pesquisa sobre estampas

    Como parte do estudo, os investigadores produziram quatro malhas inteligentes que se alteram entre dois tipos de padrões numa escala graduada.

    De acordo com os resultados, diferentes padrões geram atividade em diferentes partes do cérebro dos participantes. Cada parte estão ligadas a respostas emocionais, o que significa que, ao mudar de padrões, os participantes podem mudar de uma emoção para outra.

    “Ao usar um tecido inteligente, significa que alguém pode escolher um padrão para conseguir uma emoção em particular – roupas que nos animam ou acalmam, por exemplo”, explica George Stylios, num artigo publicado no site The Conversation.

    O professor refere ainda que ver é uma atividade muito mais complexa. Envolve formas, dimensões e cor num contexto tridimensional. Segundo Stylios, a perspetiva que existente sobre cores e formas resulta essencialmente de neurocientistas que procuram tratar as pessoas com problemas psiquiátricos, como depressão e esquizofrenia.

    Veja também: